quarta-feira, 16 de novembro de 2011

The Killers




Tinha passado a febre do Quarteto Fantástico quando eu sintonizei uma rádio qualquer. Eu estava bem descontente com a programação das FM’s, e passava mais tempo ouvindo as músicas gravadas no PC. Estava descontente com as bandas, não tinha nada de novo, era a mesma batida de sempre, com o emocore tomando conta de tudo.

Eis que, naquele dia, com o walkman, dentro da lotação, na cidade de Esteio, o dial captou as ondas sonoras e eletrônicas do Killers, com uma tal de Someboddy told me. E eu aumentei o volume, meus olhos brilharam, o dia ficou colorido e até o banzo andou mais rápido. Finalmente, tinha pintado um som novo, diferente do que estava rolando. A música era tão contemporânea, não se parecia com nada que eu já tinha ouvido. Estranha essa minha vontade de que alguma banda me salvasse do tédio. Mania de quem gosta de música: quando a cena vai mal, a gente se abala também.

Confesso que passada a febre de Someboddy told me, o Killers não mais me apresentou algo que me fizesse ter um barato semelhante. Mas a música entrou para meu playlist e virou clássica, assim como os singles do Quarteto Fantástico. E depois os caras começaram a sumir, ou eu parei de acompanhar. E foi assim.

Nenhum comentário: