quarta-feira, 30 de novembro de 2011

CPM 22


Confesso que quando eu os vi com Regina, let’s go na MTV eu gostei e até fiquei contente de o rock and roll estar com uma banda nova. Entretanto, o sucesso fez com eles o que faz com muita banda: ficou chata. Eu estava no Ensino Médio e CPM era a banda da modinha. Guriazinhas e gurizinhos que mal sabiam o que era o tal de hardcore adoravam. Mas as letras eram melosas demais, não sei...

Sabe o que me enchia o saco? Rimar os versos com verbos. Isso parece coisa de principiante (vou conseguir/não vou desistir), num blá-blá-blá de otimismo, como se falassem de vencer uma fase do Tony Hawk. Na época em que eles fizeram sucesso, eu não gostava.

Hoje, eu gosto de algumas. Um minuto para o fim do mundo me lembra uma época boa. Acho que essa e Regina, let’s go são as duas pedras que salvaram a discografia dos garotos. Porque, no início dos anos 2000’s, a coisa ficou feia para quem curtia rock nacional...

Nenhum comentário: