quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Rock em dias nublados


Smiths, Cure, Joy Division, New Order e R.E.M

Não estou discutindo a qualidade das bandas, mas sempre achei – e sempre vou achar – que essas cinco são tristes. As letras, as melodias, tudo... Eu ouço e o dia vai ficando cinza, principalmente The Cure. Quando toca Cure, vai nublando o céu, as cenas ficam preto e branco, todos vestem capotes pretos. Cure é muito deprê. Com exceção de Boys don’t cry (mas mesmo assim não fica para trás).

Por isso, apesar de conhecer e reconhecer o talento dos caras, quase nunca ouço. Porque fico triste. São músicas que me deixam triste. Não sei como tocam New Order em festas. Eu tenho vontade de chorar (“waiting for the final moment you say the answer I can’t say). Man! It’s very sad!

No Brasil, quem cumpriu esse papel foi a Legião, mas Legião Urbana eu gosto muito. Mas confesso que ouço pouco porque me faz pensar em coisas que podem me deixar triste. Só pessoas bem resolvidas emocionalmente podem ouvir Legião sem se afundar. Mas é uma ótima banda, que conseguiu popularizar o “rock cabeça”. Fez multidões gritarem e acreditarem. Afinal, como diz a jornalista Priscila Bittencourte, nem tudo são flores da Ilha das Flores.

- Você lembra a primeira vez em que ouviu Smiths, Cure, Joy Division, New Order ou R.E.M?

Nenhum comentário: