terça-feira, 13 de abril de 2010

Little Richard, Los Lobos, Gene Vincent, Roy Orbison e Carl Perkins


Cinco feras

Assim como o Rock História é um veículo para falar dos meus conhecimentos musicais, também pode servir para assumir algumas das minhas ignorâncias sobre música. E foi por isto que agrupei esses quatro cantores no mesmo texto: porque sei muito pouco sobre eles.

Little Richard era da ala black do rock and roll – a minha preferida, diga-se de passagem, sem nenhuma pretensão racista em relação à turma dos brancos. E ele gravou Tutti-Frutti, um dos mais balançantes rockabillies de todos os tempos. Foi em uma coletânea dos anos 50, da minha amiga Cacá, onde me deparei com a música pela primeira vez. E me apaixonei. No mesmo CD, vinha La Bamba, de Los Lobos. Mas esse espanhol rock eu já conhecia de ouvir na rádio Continental desde muito pequena.

Gene Vincent foi outro cara que eu conheci na voz do baiano Marcelo Nova, vocalista do Camisa de Vênus. Em mais um medley de um CD ao vivo do Camisa, ele atacava com o clássico de Vincent, Be-bop-a-lulla. E, mais uma vez, posso dizer que a versão dos baianos é a minha preferida. A versão de Vincent era bem mais relax.

Roy Orbinson
Roy Orbison - "The Big O" - eu também já conhecia há tempos. Pretty Womam é um clássico e todo mundo já ouviu algum dia. Só que, quando eu ouvi pela primeira vez – talvez na Continental, talvez no filme Uma linda Mulher – eu não sabia que aquilo era rock and roll. Mas era. E muito. Uma vez, cheguei a tirá-la no violão. E, há pouco tempo, em uma ida ao bar Opinião, em Porto Alegre, a banda Street Flash tocou Pretty Womam. Uma das melhores versões que já uvi.

Carl Perkins. Bom, ele fez Blue Suede Shoes. Precisa dizer mais alguma coisa? É uma das músicas com mais “pimenta malagueta” do rock and roll, e que foi eternizada na voz do Rei do Rock, Mr. Elvis Presley. A primeira vez que a ouvi foi na época em que uma gravadora lançou duas coletâneas de Presley e as músicas do rei começaram a tocar nas rádios em novas versões. Blue Suede Shoes tem aquela paradinha clássica antes de cair no segundo acorde: mais rock impossível.


*Você lembra da primeira vez que ouviu esses caras? Conta aí!

Nenhum comentário: