quinta-feira, 8 de abril de 2010

Jerry Lee Lewis




Ele simplesmente gravou Great balls os fire. Não precisava de mais nada. No entanto, ainda gravou outro clássico, Whole lotta shakin’ going on. Porém, a cerreira de Lewis foi meteórica: foi de 1957 a 1958, quando ele casou-se com a sobrinha de 13 anos e o escândalo fez com que fosse cancelada uma turnê na Inglaterra. Depois disso, Lewis desapareceu. Um escândalo desses não era permitido na época. Nem mesmo para um astro do rock and roll.

A primeira vez que ouvi Great balls of fire foi em uma cena do filme Top Gun – Ases Indomáveis, em que o ator a tocava ao piano, bem ao estilo Lewis. E novamente eu me apaixonei. Esse estilo puxado para o rockabilly sempre me chamou atenção. É uma coisa tão empolgante, uma junção tão perfeita de apenas três acordes que nem parece verdade.

Whole lotta shakin’ going on é boa, mas Great balls of fire é minha eterna preferida. Whole… eu conheci na voz de um baiano chamado Marcelo Nova, eterno vocalista do Camisa de Vênus. Eu tinha comprado um CD ao vivo, uma espécie de coletânea do Camisa. E lá pelas tantas, em um medley, Marcelo Nova ataca com o clássico de Lewis. Tempos depois, achei uma coletânea do Jerry Lee Lewis na promoção, por R$5! A essa altura, ninguém mais se interessava pela música dos anos 50, exceto eu e demais aficcinados. E foi assim que eu conheci o Jerry.

*Você lembra da primeira vez em que ouviu Jerry Lee Lewis? 

Um comentário:

Lisiane de Assis disse...

Adorei a ideia do blog e o blog em si! Vou ser leitora assídua!

Beijos!